Transparência e Anticorrupção

Embora não seja um mecanismo obrigatório, o mercado tem valorizado as empresas que implantam este sistema. Para implantar este mecanismo dentro da empresa é preciso, primeiramente, ter um código de ética claro e acessível a todos os funcionários. As normas não podem ser dúbias, para que se possa aplicar se necessária ação disciplinar. A comunicação da empresa precisa ser clara e fluir, todos os departamentos precisa ter conhecimento sobre o novo mecanismo e ter um canal livre para tirar dúvidas. Adotar políticas de procedimentos que sejam do interesse da empresa, por exemplo, quanto ao recebimento de presentes da parte dos fornecedores ou sobre o uso do cartão de crédito corporativo, são outros pontos relevantes para serem incorporados na compliance.

Os procedimentos precisam estar claros e não pode haver exceção. Se está determinado que na empresa ninguém pode receber um presente de valor superior a R$ 100,00, por exemplo, todos devem cumprir a determinação. E, se for descoberto algum desvio de conduta neste sentido, a punição deve ser aplicada para evitar novas “exceções”. Não existe uma receita única para o compliance, mas o certo é que todas as empresas que pretendem crescer ou atrair investidor terão, cedo ou tarde, que ter seus manuais e procedimentos de compliance em prática.

Ouvidoria Suprema: